Shampoo sólido – Shikakaï, Amla e Urtiga

Este post foi reeditado. 

Para elaborar um shampoo em barra, necessitamos tensioativos em sólido (pó), podendo combinar um tensioativo principal com um secundário e um co-tensioativo, para aumentar a espumosidade, o poder de limpeza, a dureza etc… ou utilizar somente um tensioativo principal.

Um tensioativo é uma substância que modifica a tensão superficial, entre dois líquidos imiscíveis. Composto de uma superfície ativa com moléculas anfifílicas, ou seja, de uma parte polar (hidrofílica) e uma parte apolar (hidrofóbica).”

E para escolher um tensioativo, devemos conhecer as características químicas e as necessidades do produto que vamos elaborar. Exemplo:

SCI- INCI – Sodium Cocoyl Isethionate : tensioativo tipo aniônico, derivado sulfonado dos ácidos graxos do óleo de coco, biodegradável. Pode ser utilizado como secundário ou como tensioativo principal. De origem vegetal e sintético. Ecológico. Suave e delicado.

1% a 20% como co-tensioativo
30% a 60% como agente tensioativo principal

SCS- INCI – Sodium Coco Sulfate: tensioativo tipo aniônico, derivado sulfatado dos ácidos graxos do óleo de coco, biodegradável, de origem vegetal e sintético. Pode ser utilizado como tensioativo secundário ou principal. Ecológico e certificado. Irritante para peles sensíveis e não indicado para produtos infantis.

1% a 90% dependendo do produto a elaborar

SLSA- INCI – Sodium Lauryl Sulfoacetate: não confundir com o Sodium Laureth Sulfate. Derivado do coco e da palma, de origem vegetal, suave e seguro. É um agente de formação de espuma que ajuda na limpeza da pele. Indicado para peles sensíveis e todo tipo de pele. Ecológico e certificado. Se utiliza em barras de shampoo como tensioativo secundário.

Shampoo 1-3%, Gel de banho até 10%, Bombas de banho (10-15%)

Outro : SLS- INCI – Sodium Lauryl Sulfate : tensioativo aniônico, não é cancerígeno como algumas pessoas afirmam, possui um alto poder de limpeza, desestabiliza o manto protetor da pele, é alérgeno e irritante. De origem sintético derivado do coco e da palma (durante seu processo de obtenção, dizem que genera nitrosaminas). É biodegradável e certificado por Ecocert. Indicado para shampoos de tratamento.

A base do shampoo sólido são os tensioativos mas a parte de limpar, um shampoo deve proporcionar suavidade, brilho e condicionamento para desembaraçar o cabelo. Para esse fim, vamos utilizar óleos, manteigas, extratos, óleos essenciais, plantas e ativos indicados para o cabelo e o tipo de shampoo que queremos. Exemplo :

Óleos e manteigas :

  • cabelo seco : abacate, argán, ricino, coco, manteiga de karité…
  • cabelo oleoso : jojoba, argán, avelã, girasol…
  • caspa : neem, coco, oliva, sésamo…
  • queda capilar : oliva, ricino, jojoba, neem…

Extratos e plantas : alecrim, aveia, malva, chá verde, sálvia, urtiga, hibisco, amla, shikakaï, fenogreco…

Óleos essenciais :

  • cabelo seco : lavanda, amaro, gerânio
  • cabelo oleoso : limão, menta, bergamota
  • caspa : alecrim, sálvia, melaleuca
  • queda capilar : limão, alecrim, salvia

Outros ingredientes : argilas, mel, seda, ceramidas, óxidos, hidrolatos…

Meu shampoo é para crescimento e fortalecimento do cabelo. Como já falei em outro post sobre a shikakaï e suas propriedades, nesse vou falar um pouco sobre a Amla.

Amla- Nome botânico : Phyllanthus emblica, também conhecida como amalaki ou groselheiro da India. Em sâscrito Amla, rica em ácido ascórbico (vitamina C ), flavonoides, taninos, ácidos fenólicos (ácido gálico, ácido elágico).

Planta medicinal utilizada na medicina ayurvédica.

  • Constituição : Vata e Pitta.
  • Sabor o Rasa : doce, adstringente, ácido
  • Virya : refrescante

É um potente regenerador e antioxidante. Acelera o crescimento capilar e reduce a velocidade de caída. Também ajuda a combater o cabelo branco prematuro.

Urtiga Dioica : rica em vitaminas do grupo B (niacina, riboflavina, tiamina e colina), vitamina C e vitamina A (betacaroteno). Regenera e combate a caspa seborreica e outras alterações relacionadas com a caída capilar.

Fórmula base orientativa:

60-80% ingredientes secos

10-15% fase oleosa

10-15% fase aquosa

Nota:

  • Todas as % podem variar, restando sempre dos ingredientes secos da fórmula. E mantendo sempre um % menor de líquidos que de sólidos.
  • Para o ph, utilizaremos ácido citrico, ou bem, adicionando diretamente entre os ingredientes ou mediante uma solução de ácido citrico e água.
  • Precauções : utilizar máscara, luvas e óculos para manipular os tensioativos.

Ingredientes:

Fase A

33 g SCI

10 g SLSA

Fase B

13,30 g de shikakaï

2 g de urtiga

5 g de amla

1 g de kapoor Kachli

Fase C

10 g de água

Fase D

10 g de manteiga de karité

25 gotas de óleo essencial de alecrim

25 gotas de óleo essencial de laranja

Modo de Fazer:

  1. Leve a fase A e C ao banho maria. Com ajuda de um morteiro misture os ingredientes até formar uma pasta homogênea e pegajosa.
  2. Adicione a fase B à fase A+C até formar outra pasta homogênea.
  3. Adicione a fase D, primeiro a manteiga, previamente derretida. Retire do banho maria. Com ajuda das mãos modele a massa. E por último adicione os óleos essenciais.
  4. Antes que a massa endureça, coloque em uma forma previamente untada com um pouco de óleo ou manteiga.
  5. Coloque na geladeira durante 15 minutos. Retire e desenforme. Deixe secar durante 48h antes de utilizar por primeira vez.

 

NOTA

  • O SCI pode ser o único tensoativo da fórmula dentro da % permitida.
  • É importante que a temperatura do banho-maria não supere os 40º.
  • Validade de 6 meses ou mais.

🌿 Sempre faço um teste com todas as minhas fórmulas, para observar a estabilidade e conservação do produto, algumas fórmulas são publicadas antes do teste e outras depois. Assim que fique atento as notas🗒, caso tenha interesse em reproduzir qualquer fórmula minha.

🌿Qualquer mudança organoléptica ou seja odor, cor ou aspecto físico de um produto cosmético, o mais indicado é suspender o uso.

 🌿Não tenho como determinar a validade dos produtos elaborados com água sem um teste microbiológico, e não me responsabilizo por elaborações feitas por terceiros, já que ademais do conservante, a manipulação e o armazenamento do produto influi no seu estado de conservação.

Se gostou, compartilha esta receita com seus amigos. Colabore para o crescimento do blog e da nossa comunidade, assim poderei continuar a trazer novas receitas, dicas e informação sobre cosmética natural.

Participe da comunidade DIY no Facebook, entre nos grupos associados ao meu blog, na minha fanpage vocês irão todos os grupos relacionados a comunidade DIY do Brasil e Portugal com muita informação dicas e receitas. 

 

Obrigada pela visita e até a próxima receita <3

 

Anúncios

28 respostas para “Shampoo sólido – Shikakaï, Amla e Urtiga”

  1. Ola. Estou so com uma duvida. Falou em acido citrico para baixar o ph. Que quantidade deverá ser usada para a quantidade de agua que referiu? Mt obrigada <3

    1. Na minha fórmula não é necessário, já que o ph fica dentro do recomendado. Em outras é questão de provar. Também depende da escolha dos tensoativos e dos ingredientes a utilizar.

    1. Oi Miriam, moro na Espanha, mas a loja onde comprei as ervas entrega no Brasil. O nome da loja é Aroma-zone. De todas formas, entra no meu grupo do Facebook Cosmética Natural Handmade Brasil, lá tem meninas que já fizeram esta receita e podem te indicar fornecedores no Brasil.

  2. Bom dia!
    Gostaria de saber onde comprar Sodium Lauryl Sulfoacetate no Brasil. Você saberia me informar?
    E também se possível informar o percentual máximo recomendado na fórmula. Grata.

    1. Oi Cristina, infelizmente não tenho como responder sua dúvida. Não moro no Brasil. Te convido a participar do grupo Cosmética Natural Handmade Brasil, lá estou segura de que algum membro poderá te ajudar nessa questão.

  3. Jane, uma duvida: até adicionar a Fase D, a pasta que vai formar o shampoo solido fica sempre em banho maria?

    1. Oi Gisele, como aconteceu isso? Você pode usar assim e corrigir na próxima receita, ou desfazer o shampoo no banho maria e adicionar bicarbonato.

  4. Olá Jana, gostei muito da sua receita. Fiz em casa e deu super certo no meu cabelo, só troquei as ervas pelas que eu tinha em casa. A dúvida que surgiu é, para garantir a durabilidade do shampoo dentro desses 6 meses, preciso esterilizar as ervas? Obrigada!

    1. Oi Araceli. A validade é maior de 6 meses. Quando colocamos ervas com o tempo ela se oxida. Mas isso é normal. Não tem como esterilizar as ervas.

    1. Oi Steffany. O sci possui um ph ácido, usando somente ele não é necessário ajustar o ph. Já outros tensoativos são de ph básico, sendo necessário um ajuste de ph.

  5. Olá, tudo bem Jana. Minha dúvida é: as ervas precisam ser moídas (em pó) ou posso usar elas em folhas? Obrigada!

    1. Oi! Carolina. Melhor moídas, mas que nada pelo sensorial esfoliante. Sendo que também pode ser bastante desagradável retirar pedaços de planta do cabelo. Agora se você não se importa de lavar o cabelo dessa forma, sem problema.

    1. Oi Cris, um condicionador ou shampoo? É possível fazer um 2×1. Mas não entendi muito bem o que você quer exatamente. Quanto ao sci, ultimamente não tenho comprado, já que o preço está disparado. E para mim o scs tem sido muito melhor, até mesmo para formular.

  6. O tensoativo entra na fase oleosa, líquida ou seca? Ou sua porcentagem é do total que depois é adicionado às porcentagens dos outros ingredientes?

Deixe uma resposta